Saúde e Cura

Por Shanti Shanti Kaur Khalsa, Ph.D. Espanola N.M.

Extraído do Kundalini Rising – spring 2001

Traduzido por Guru Suroop Kaur

—————-IKYTA e o Guru Ram Das Center for Medicine and Humanology recebem frequentemente pedidos de informação sobre kriyas para doenças específicas, como artrite reumatóide, angina, Parkinson, AIDs, epilepsia, câncer de mama, esclerose múltipla, etc.

                Como você provavelmente tem consciência, não há kriyas de Kundalini Yoga para essa ou aquela doença. Mesmo quando Yogi Bhajan dizia: “isto é para isto ou aquilo”, ele estava quase sempre falando de prevenção. Kundalini Yoga foi ensinada originalmente para levar as  pessoas saudáveis ao seu mais alto potencial. Como um sistema, ela não é inerentemente um modelo terapêutico, apesar de que tem inúmeros benefícios terapêuticos. Um dos pontos-chaves que uso quando os professores me fazem perguntas nesse enfoque, é que não ensinamos Kundalini Yoga para um diagnóstico ou uma doença. Nós ensinamos yoga para a pessoa que tem a doença. Kundalini Yoga é uma ciência sagrada. O sagrado dentro do aluno é despertado através dela.

                Isto significa que nós, como professores, precisamos conhecer melhor sobre cada aluno individualmente e como ele está experimentando a doença. Se conhecermos suas forças e capacidades – não apenas suas limitações – poderemos selecionar melhor  o yoga e a meditação que ajudará o corpo dele a se sentir melhor.

                Além disso, precisamos considerar a aplicação do yoga. Por exemplo, quando Yogi Bhajan dizia: “isto é para o sistema imune”, como professores devemos nos perguntar: Qual aspecto do sistema imune? Isso se aplica melhor a qual nível de alunos? E para qual efeito? Muitos kriyas para um objetivo, não são aplicáveis para as pessoas que já estão doentes. Isto é para distinguirmos o que o aluno precisa e para selecionar, dentro do vasto tesouro de Kundalini Yoga, o que serve melhor ao aluno. Muitas vezes, não é uma série como pensamos. Respirar é uma prática terapêutica em si mesma, assim como exercícios de Flexão de coluna.

                Os professores que têm alunos doentes precisam ter consciência de que há um protocolo básico que inclui avaliação do aluno, contraindicações, estágio da doença, efeitos colaterais do tratamento e as próprias responsabilidades legais do professor. Os professores precisam estar conscientes do que trazem melhor para a aula é o que permite que a clareza e humildade prevaleçam. Os programas de yoga têm mais sucesso quando ajustados para o aluno individualmente (mesmo numa aula em grupo), baseados nas forças, limitações, necessidade dos alunos e no nível de conforto do professor.

» TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Cadastre-se em nossa

Newsletter

Copyright [AKYM BR] – Associação Nacional de Professores de Kundalini Yoga.