O grande engano sobre meditação

Fonte: Revista Yoga Chicago

            Onde quer que eu vá e nas muitas cartas que recebo , as pessoas fazem o mesmo comentário sobre sua prática de meditação: “Eu tenho tentado meditar, mas minha mente nunca fica vazia. Eu não consigo fazer isto, por isto desisto”.

——————-A prática da meditação não é para deixar a mente vazia. Tentar parar de pensar é a mesma coisa que tentar parar a digestão ou parar a circulação de sangue. O estômago é feito para digerir a comida, o coração, para impulsionar o sangue e a mente é feita para pensar. Isto é o que a mente faz. Ela gera muitos pensamentos e nunca pára. Neste instante , quando está lendo este artigo, você está ocupado com o estômago digerindo a comida, ou com seu coração, impulsionando o sangue? Você está identificado com a digestão ou com a circulação? Está prestando atenção a estes processos? Claro que não. Eles seguem automaticamente, em segundo plano, enquanto nossa atenção se dirige à leitura.

            Durante a prática da meditação, a idéia é dirigir a atenção para a respiração ou o mantra ou qualquer outro foco de concentração e permitir que a mente faça as suas coisas automaticamente, em segundo plano, da mesma forma como os outros órgãos estão sempre fazendo.Não é uma batalha, a menos que você assim a faça. É simplesmente um hábito que você está tentando formar, o hábito de desidentificar a mente como “eu”. A mente não é “você” da mesma forma que o estômago, o coração e os ouvidos não são. Eles são parte de você. Eles são parte de como você segue no mundo. Eles são ferramentas importantes, mas não são você. Você é algo mais profundo e mais misterioso do que qualquer parte sua – incluindo a mente.

            Então, a prática da meditação é nossa oportunidade diária para fortalecer  nosso sentido de ser além de uma mente pensante. Sentamos para meditar, a mente começa a tentar agarrar toda a nossa atenção com seus pensamentos e  nos mantemos redirigindo a atenção para a respiração ou o mantra. A mente usa todas as espécies de truques, e caímos em muitos deles, mas nos lembramos e voltamos ao nosso ponto focal. Gradualmente, se perseverarmos dia após dia, tornar-nos-emos capazes de sentar quietamente concentrados em nossa respiração, enquanto a mente continua a gerar pensamentos em segundo plano. Nós percebemos mais pensamentos mas não nos envolvemos com eles, até que a prática da meditação tenha terminado. A mente faz suas coisas e nós, as nossas e ambas coexistem.

            E, então, algumas vezes, a grande mágica espiritual acontece e nossas mentes fazem realmente uma parada por um pequeno tempo. É uma grande experiência quando a mente pára. Mas não podemos fazer isto acontecer, não perca sua energia tentando. Quando a mente pára nos colocamos no verdadeiro silêncio espiritual. Algumas vezes a respiração chega a parar com a mente. É surpreendente como podemos estar sentados, por vários minutos, sem respirar ou estando fora da respiração. Estas são experiências agradáveis para olharmos à frente depois de um tempo de prática de meditação, mas elas não funcionam como objetivos. Os objetivos vêm da mente, não do espírito. Os objetivos produzem agitação e frustração e, então, vamos sendo levados para o lado oposto da meditação. Abandone os objetivos e simplesmente faça a prática com paciência e um pouco de disciplina. A mente pensa; você gentilmente redireciona sua atenção. Sua atenção é puxada pela mente, você a redireciona novamente. E novamente. E novamente. Bilhões de vezes. Isto é o que você precisa fazer. Os “resultados” virão por si mesmos.

            Eu espero que este pequeno esclarecimento o ajude a revitalizar sua prática de meditação e lhe dê um novo sentido de paz enquanto faz a sua prática. A mente de todo mundo é barulhenta; você não está sozinho. O objetivo não é silenciá-la, apenas direcione a sua atenção, isto é tudo.

(Human Kindness Fundation – www.humankindness.org)

» TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Cadastre-se em nossa

Newsletter

Copyright [AKYM BR] – Associação Nacional de Professores de Kundalini Yoga.

Mensagem para a Sangat Nacional de Professores

   A AKYM abriu oportunidades aos professores associados que estejam interessados em se voluntariarem na participação de novos projetos.
   Quando desejarem participar de um seva, não esperem nada em troca, mas inevitavelmente ganharão experiência e a alegria do pertencimento. Assim são os professores que dão aulas pela AKYM, eles se projetam e se tornam conhecidos por um grupo muito mais vasto. E, nós, da AKYM, ficamos felizes em dar esta oportunidade aos nossos professores e a unir ainda mais nossa associação.
    O primeiro projeto aberto aos voluntários, é conduzir uma meditação diária, às 18h, no sistema de rodízio, isto é, será realizada uma escala e cada professor voluntário ficará responsável por determinado dia, de acordo com a sua disponibilidade.
    E mais, se você ainda não se animou em participar por dificuldades ou insegurança no uso da plataforma Zoom, a AKYM providenciará uma oficina para esclarecer dúvidas e oferecer treinamento no uso da ferramenta.
  Por fim, a AKYM também está planejando montar grupos de estudos com objetivo de aperfeiçoamento e crescimento aos professores voluntários que estiverem participando dos projetos. Aguarde!!!

A AKYM está com você, a AKYM pensa em você, a AKYM é para você.
Aguardamos sua adesão e seu entusiasmo.